LIBERTADORES SEM FLAMENGO, BRASIL SEM GOVERNO

10_05_0953_camisa_flamengo_brasilf6

FOTO: Weeb

 

 

Quem agora lê estas linhas deve estar se perguntando o porque do Flamengo em meio à um relato totalmente voltado para a atual política nacional não é mesmo?

Pois bem, assim como o retrospecto das últimas participações do time vermelho e preto da Gávea na competição mais importante do continente Latino Americano ainda rende o que falar até os dias de hoje, assim caminha todo o embaraço da política brasileira até agora e podem esperar por muito mais.

Num país onde a carne tem sido misturada com papel picado e onde donos de frigoríficos delatam políticos dos mais altos graus como vendem os cortes de carne que comercializam até nos States,  a política nacional parece estar sendo passada num picador de papel…desses que são utilizados nos escritórios para dar fim à documentos confidenciais.

 

Irá parecer um pouco estranho, mas em tempos como os atuais só me vem a memória a época em que ainda era possível ver circular o Jornal “O POVO” pelas bancas de jornais cariocas. Quem se recorda deste períodico deve lembrar o quão sanguenolento este era com páginas recheadas dos mais escatológicos assassinatos que acometem a sociedade capitalista moderna. Decapitações, pessoas mortas amarradas com facas cravadas em seus corpos, carbonizações e todo tipo de atrocidade que deixavam até os fãs de “Sexta-Feira 13” achando o Jason um mero personagem de quinta categoria.

Nunca fui leitor do Jornal O POVO, limitando-me apenas a inevitavelmente ter visto o mesmo pendurado em diversas bancas quando ia comprar gibis e figurinhas. É impossível não lembrar que um pouco mais adulto e iniciando meu processo de conscientização acabei por descobrir que toda a manutenção de meu medo partiu deste jornal. Muito embora sempre tenha sido muito pobre, tinha medo de ser roubado, medo de ser atropelado, de ser esfolado vivo e tinha até medo de ser sequestrado – percebam aqui a inocência que as crianças carregam, pois como imaginar um sequestrador pedindo resgate à família de um pobre?

Enfim, mais tarde já adulto só passei a perceber que para a realização da manutenção deste medo, um medo que não é só meu mais sim de todos não é necessário só um jornal repleto de fotos sangrentas. Hoje percebo claramente que a maioria dos veículos de comunicação o realizam ao falar da economia, do desemprego, da falta de médicos, de hospitais, de escolas e de tantos outros bens e serviços dos quais necessitamos como um todo.

Contudo, e como cerejas à serem postas num bolo que carrego comigo há tempos no velho e mofado armário de minha esperança, é interessante pensar que alguns políticos antes intocáveis ou que se achavam como tal estão podendo vivenciar este medo. Como não se satisfazer ao imaginar que nosso “Presidente empolado” e cheio de trejeitos pode estar passando noites em claro? Como não ter quase um orgasmo ao imaginar o “bom moço de Minas” Aécio Neves comendo o mesmo macarrão com salsicha que Sérgio Cabral já está se deliciando há tempos no presídio de Bangu, que toda a empáfia de Rodrigo Maia seja reduzida ao mais longo choro de arrependimento e que enfim, todos os que nos roubam de forma descarada possam em vias de fato responder por seus atos espúrios?

E onde entra o Flamengo nessa história? Bom, se todos esses poderosos estão tendo esse declínio e o Flamengo mais uma vez foi desclassificado da Libertadores da América, porque ele não irá para a segunda divisão? E não vale responder “Porque time grande não caí”

Grande, é só o rombo que nós brasileiros temos nos cofres públicos…e só!!